PLANTAÇÃO DE IGREJAS AVANÇA NO ORIENTE MÉDIO - CAPA


 

Talvez você imagine que plantar igrejas no Oriente Médio seja uma tarefa difícil por causa do perigo real de perseguição. Mas quando conversamos com nossos irmãos nativos, que trabalham conosco nessa tarefa, ficamos surpreendidos com respostas como esta: “Embora seja mais seguro começar uma igreja no Ocidente, na verdade pode ser mais simples plantar uma no Irã. Vá a uma conferência de plantadores de igrejas na América do Norte e você ouvirá sobre orçamentos, programas, campanhas de marketing e a necessidade de um bom conjunto de adoração. Participe de uma conferência para iranianos e você terá uma imagem muito diferente: falarão sobre começar compartilhando Cristo com amigos e familiares, reunindo novos crentes para um ensino bíblico semanal e comunhão, e então encorajando e orando com eles para que compartilhem com seus amigos e familiares”.

É preciso levar em consideração que plantar uma igreja no contexto muçulmano não é igual ao que estamos habituados no Brasil, onde precisamos de uma quantidade de membros, concílio, templo etc. No Oriente Médio, assim como em quase todas as demais regiões da Ásia, consideramos uma igreja quando ela tem um pastor (líder), está se reunindo regularmente, não necessariamente em um templo, e se multiplicando em outros grupos e lugares. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os que iam sendo salvos. (Atos 2: 47b).

Muitos estão sendo alcançados e as bíblias e Novos Testamentos enviados dão a essas pessoas a chance de estudar a Palavra de Deus em sua própria língua. Tem sido uma bênção. Ore pelos nossos irmãos que, mesmo em meio aos riscos, continuam a compartilhar a Palavra. Vamos continuar orando, pois no terceiro domingo de março  estaremos levantado a nossa oferta de desafio de Missões Mundiais.

 

Pr. Jessé Carvalho Coordenador da JMM para o Oriente Médio, Norte da África e Sahel Africano.

Comentários