A importância da Música no culto


Para nós os batistas, focamos novembro mês da música, a música destacada na igreja deve ser funcional, não é um fim em si mesma, mas deve ser um auxílio para a igreja no cumprimento de sua missão. A música é veículo, mas não adoração. Devemos ter um senso crítico do que estamos cantando. Ter o cuidado para não misturar entretenimento com culto. Possuímos muitas músicas de entretenimento, e tem sido usada nos momentos de adoração. A música deve contribuir para adoração que se quer prestar a Deus, a quem é dirigida; para exaltar a Sua glória; e para oferta de gratidão pelas grandes coisas que Ele fez e faz no meio do Seu povo. O hino e o "hineto" devem conter conteúdo teologicamente correto, e conter ensinamentos que proporcionem o crescimento espiritual, a dedicação ao serviço de Deus e à proclamação da Sua salvação.

Entre os aspectos a ser destacado é que a música utilizada no culto deve servir para edificação do povo de Deus. Temos uma mensagem a proclamar, por isso que o repertório a ser escolhido deve ser submetido à direção de Deus através da oração e iluminação do poder do Espírito Santo de Deus.

A música pode ser instrumento de Deus para comunicar, ensinar ou fixar doutrinas, ou ainda reforçar valores espirituais. O Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho falando no 13º Congresso dos Músicos Batistas do Brasil em Janeiro de 05, na cidade de Natal, RN, alertou-nos para o fato de que precisamos de uma teologia correta, de hinos consistentes, que tragam uma mensagem com conteúdo. Os cânticos que entoamos em nossas igrejas devem trazer uma fé explícita e devem expressar uma coerência com a doutrina que a igreja crê. Devemos estar orando para encontrarmos um líder para a área de música da IBAL.   


PR. WILDES S. ROCHA (TEXTO ADAPTADO).

Comentários