NÃO DEVEMOS ESQUECER-NOS DO CÉU - CAPA 01-11-2020

É isso que Paulo, em Colossenses 3:2, também nos ensina: devemos acertar o nosso “relógio” com o horário lá do céu, pensando nas coisas de lá, acumulando riquezas lá, desejando intensamente chegar lá no céu. De um extremo ao outro, o céu, nas últimas décadas, não só deixou de ser o tema central no meio eclesiástico, como também sofreu uma espécie de ruptura. Parece que não há mais lugar para ele na Igreja contemporânea. Quase não se fala nem se cantam hinos como “Céu, Lindo Céu”.

Se a eternidade com Deus é algo de tirar o fôlego, se não podemos perceber sua dimensão usando os cinco sentidos, se vamos viver perpetuamente nos céus, por que falamos tão pouco sobre o paraíso celestial? O termo “céu” aparece 583 vezes nas Escrituras nos seus diversos sentidos, e isso sem considerar outras referências como as “moradas” da casa do Pai. Desde a revelação no Pentateuco, registrada por Moisés, até as últimas palavras de Apocalipse, surge de forma muito concreta nas Escrituras. Mateus era um cobrador de impostos, ativi¬dade bem terrena, mas só no livro desse apóstolo a realidade dos céus é mencionada 76 vezes pelo próprio Jesus. Aquele que “veio dos céus” fala sobre essa nova esfera de realidade, dando a ênfase de viver esta vida aqui desde a perspectiva da vida lá céu. Mesmo assim, a Igreja que Ele mesmo fundou parece lutar para não perder a esperança ou o senso de entendimento de que este deve ser o alvo sua caminhada. Deve existe ‘lugar’ para o céu no paradigma da igreja contemporânea. 

O pastor e escritor batista Lécio Dornas, que vive em Windermere, nos EUA. “O alvo para alguns é melhorar, o quanto possível, o aqui e o agora. O pragmatismo imposto pela conjuntura socioideológica vigente, com o oferecimento insistente de fórmulas e passos para tornar a vida aqui e agora mais prazerosa, confortável, longe da realidade da morte e do céu. Não podemos omitir o céu e nem tão pouco que aqui somos peregrinos e forasteiros e que nossa pátria está nos céus” (Filipenses 3.2). O materialismo tem afastado o homem do centro da vontade de Deus. “O céu é real e precisamos pensar mais nele. Na reve¬lação do Apocalipse a João, encontramos o Senhor Jesus Cristo convidando o apóstolo a subir e a entrar pela porta no céu para ver o que o Senhor lhe mostraria (Ap. 4:1),vislumbrando o trono divino, o Cordeiro, a multidão dos salvos e tantas outras coisas. Conforme os ensinamentos bíblicos, não há dúvida de que se trata da morada de Deus e de todos os que receberam a promessa da vida eterna por Jesus Cristo.                               PR. WILDES S. ROCHA – TEXTO ADAPTADO.

 

Comentários